Escola  Sede de Agrupamento – Mães d’ Água

esc_maesdagua

       A escola sede de Agrupamento deve o seu nome ao facto de ter no interior do seu perímetro parte do aqueduto subterrâneo da Galega, subsidiário do aqueduto das Águas Livres (do qual ainda há memória concretizada nos dois respiradouros existentes na sua área) e de se encontrar num Concelho tradicionalmente fornecedor de água a Lisboa.
      A Escola do 2º e 3º Ciclo com Ensino Secundário Mães d’Água foi criada, sob a denominação de Escola Secundária c/ 3º Ciclo da Falagueira, em resposta às necessidades geradas por uma população escolar crescente que, no nosso concelho, se traduzia numa superlotação das escolas existentes. Daí ter sido inserida num plano de "emergência" que levou à sua construção num tempo recorde.
     Inaugurada em 13 de Janeiro de 1984, enquanto secção da Escola Secundária da Brandoa, abriu com 30 turmas do 7º ano, num total de 812 alunos, 53 professores, 4 funcionários administrativos e 8 auxiliares de ação educativa.
     Tornou-se "autónoma" a partir de 1 de Outubro de 1985 (Portaria Nº 465/85 de 85/07/17) com uma Comissão Instaladora e elegeu o seu primeiro Conselho Diretivo no ano letivo de 1987/88.
      A Escola tinha então alargado os níveis que lecionava ao 11º ano (o ensino secundário iniciara-se no ano anterior com 5 turmas do 10º ano) e contava com 1753 alunos. Continuava, no entanto, a ser uma escola predominantemente de ensino unificado e nem mesmo a introdução do 12º ano (4 turmas), no ano letivo de 1992/93, alterou esta situação.
     A preocupação em alargar as ofertas da Escola e em criar alternativas para os alunos, levou à abertura dos cursos técnico-profissionais de Mecanotecnia e de Técnicas de Secretariado, respetivamente nos anos de 1988/89 e 1991/92. Esta vertente reforçou-se após a entrada em vigor da Reforma do Sistema Educativo, com a introdução de cursos orientados para a vida ativa, como foram os Tecnológicos de Mecânica, de Design e de Administração.
     A vocação da Escola para o Ensino Secundário e a abertura de novas Escolas EB 2+3 no concelho, levou à redução do número de turmas do Ensino Básico a partir do ano letivo de 94/95.
     No ano letivo de 1998/1999 foi proposto, ao abrigo do Decreto-Lei 324/97 de 15 de Novembro o novo nome para a escola, “Escola Secundária c/ 3º Ciclo do Ensino Básico Mães d’Água”, conforme aprovado em Conselho Pedagógico de 15 de Julho de 1998 e em sessão da Câmara Municipal da Amadora de 6 de Janeiro de 1999. A nova designação foi aprovada pelo Despacho 15597/99 de 12 de Agosto.
     A partir de 2007 a escola passou a pertencer ao agrupamento, ·Agrupamento de Escola Mães D’Água, sendo homologado a 12 de Junho de 2007 pela Direção Regional de Educação.

 

Escola Básica do 1º ciclo - Artur Bual

esc_arturbual  A Escola Básica do 1º ciclo de Artur Bual fica situada na Praceta das Roiçadas, Falagueira, Amadora. É uma escola recente, cujo edifício foi inaugurado em 4 de Maio de 2004 pelo Sr. Presidente da República, Dr. Jorge Sampaio. Durante muitos anos tinha existido neste espaço uma escola do Plano Centenário, denominada Escola Primária da Falagueira nº1.
     Dos acontecimentos relevantes ligados à Escola destacam-se em 8 de Abril de 2005 a visita do pintor José Ruy e em 31 de Maio de 2005 a Exposição da “Vida e Obra de Artur Bual” com homenagem ao pintor contando com a presença da sua família.
     O pintor Artur Bual, patrono da escola, teve grande ligação afetiva com a freguesia da Falagueira, pois foi membro do Grupo ARTEVER, Grupo de Artistas Plásticos situado na Falagueira. Esteve ainda ligado ao Grupo Geral de Cantares Alentejanos que faziam parte desta comunidade e com os quais tinha grande ligação artística.
     Na Fábrica da Cultura da Amadora, situada nesta freguesia da Falagueira, fez a sua maior Exposição de Artes Plásticas no ano de 1994. Pessoalmente teve ainda grandes ligações com a Escola Artur Bual, pois muitas vezes aí se deslocava, trazendo e levando a filha e, mais tarde, o neto, que foram alunos desta Escola.
     Nascido em Torres Vedras a 16 de Agosto de 1926, Artur Bual cedo se revelou um dos artistas mais dotados da sua geração, considerado um pioneiro da pintura gestual em Portugal, desde o início dos anos cinquenta. Pintor, Escultor e Ceramista, realizou diversas exposições em Portugal e no estrangeiro. Está representado em diversas coleções: Palácio da Justiça de Lisboa, Centro de Arte Moderna da Fundação Calouste Gulbenkian, Museus Nacionais, Câmaras Municipais, Centro de Formação Profissional de Pegões, Governo Regional dos Açores, etc. Executou diversos frescos em 12 capelas, no Alentejo e Ribatejo. Executou painéis-mosaico para a estação da CP da Amadora e para o Metropolitano de Lisboa. Falecido na Amadora em 1999, Bual deixa uma obra vasta e muito característica.
     A Escola é constituída apenas por um edifício, contudo algumas salas com dimensões reduzidas e não são suficientes para o desenvolvimento de todas as atividades.

 

Jardim – de – Infância da Falagueira

jifal_peq     Para dar resposta às necessidades sentidas pela população, a Câmara Municipal da Amadora criou em 1980 o Centro de Infância Municipal da Falagueira, num edifício pré-fabricado situado na Quinta da Conceição, Amadora.
     No ano letivo 2000/2001 duas salas deste centro passaram para a tutela do Ministério da Educação integrando a Rede Pública de Educação Pré-Escolar com o nome de Jardim-de-Infância da Falagueira nº3.
     Encontra-se atualmente remodelado.